Apesar de IOF, participação de estrangeiros na dívida pública aumentou em março

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

 
envie por e-mail
imprimir
comente/comunique erros
download gratuito
Brasília – Apesar da cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os investimentos estrangeiros em renda fixa no Brasil, a participação desses investidores na dívida interna do país aumentou no mês em que a tributação entrou em vigor. Segundo o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Guilherme Pedras, os estrangeiros somaram 5,85% dos investidores da dívida interna brasileira em março.

Esse percentual é maior que os 5,68% registrados em fevereiro e que os 4,96% registrados em janeiro. Os números foram revelados hoje (20) durante a apresentação do relatório mensal da dívida pública federal. De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, os dados de abril ainda não estão fechados.

Pedras evitou fazer projeções, mas disse que a fatia dos estrangeiros na dívida pública brasileira deve aumentar ainda mais nos próximos meses, por causa do grau de investimento concedido em 30 de abril pela agência de classificação de risco norte-americana Standard & Poor’s.

“Com o grau de investimento, participantes que não entravam no mercado doméstico passaram a investir no Brasil”, explicou o coordenador. Ele, no entanto, disse que a entrada de fundos de pensão estrangeiros e de investimentos nos papéis da dívida brasileira só deve ocorrer no médio prazo.

A cobrança do IOF sobre determinados tipos de investimentos estrangeiros no Brasil foi uma das medidas do pacote cambial anunciado em março para conter a queda do dólar em relação ao real. Desde então, os estrangeiros pagam em IOF 1,5% do que aplicam no Brasil em renda fixa e em títulos do governo.

Anúncios

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: