Operação da Polícia Federal combate crimes previdenciários no Maranhão

Brasília – A Polícia Federal (PF) desencadeou hoje (19) a Operação Balaiada, com o objetivo de reprimir crimes previdenciários no Maranhão. Em parceria com a Força-Tarefa Previdenciária do estado, devem ser cumpridos 38 mandados judiciais – 15 de prisão temporária e 23 de busca e apreensão.

Segundo nota divulgada hoje, a operação envolve cerca de 130 policiais federais do Maranhão, do Piauí, do Ceará e do Rio Grande do Norte, além de funcionários deslocados pelo Ministério da Previdência Social. As investigações começaram em abril do ano passado.

As prisões incluem um servidor do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), responsável por habilitações e concessões de benefícios previdenciários, e também 14 aliciadores, todos da cidade de Caxias.

O prejuízo aos cofres da União foi definido em R$ 351.812 e constatado a partir da análise de benefícios previdenciários tomados apenas como amostragem. O valor, segundo a PF, pode ser até cinco vezes maior, superando o montante de R$ 1.750.000.

Os benefícios investigados são os de Pensão por Morte Previdenciária, de Salário Maternidade (área rural) e de Aposentadoria pro Idade (áreas rural e urbana). Foram encontrados indícios de irregularidades como a utilização de Cadastro de Pessoa Física (CPF) de outra pessoa para obtenção de benefício, além de pessoas do sexo masculino registradas em benefício como se fossem do sexo feminino – possivelmente para justificar, nos casos de Salário Maternidade, nascimentos inexistentes.

A quadrilha praticava ainda crimes como a aquisição de cartões magnéticos de saque de benefícios de pessoas falecidas – sob a falsa promessa, aos familiares, de transformá-los em pensionistas. A falsificação material e ideológica de documentos de segurados vivos e mortos e a aquisição de extratos de benefícios previdenciários para a consumação de estelionato também foram registrados.

O nome dado à operação, Balaiada, refere-se a uma revolta social ocorrida entre 1838 e 1841 no interior do Maranhão.

———-

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil

Anúncios

One Comment

  1. Antônio
    Posted quarta-feira, 30, julho 2008 - at 9:09 am | Permalink

    Bom dia, quando tem uma pessoa que faz aposento e de pois obriga as pessoas á fazer emprestimo mesmo sem que o aposentado queira não quer mais devolver mais os documentos do procurado, em um caso como este, qual o coselho melho porque, em Santa quiteria do Maranhão esta acontecendo esta mulher tem tantos documentos na casa dela que não da para imaginar quantas pessoas, estão sem seus documentos, esta mulher tem um rapais dentro do inss de tutoya que aposenta até cachorro se no caso ela mandar para-la, este rapais em dois mil 4 era candidato á deputado estadual, o que devo fazer?


Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: