Lula cita documento americano para motivar G8 a discutir desaquecimento global

Brasília – Para convencer os países desenvolvidos de que devem assumir maiores responsabilidades no desaquecimento global, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva trouxe para Hokkaido documento elaborado por um instituto norte-americano de energia, que mostra que os ricos são os maiores emissores de gás carbônico do planeta. O ranking de grandes poluidores também conta com gigantes emergentes, como China e Índia, com mais de um bilhão de habitantes e no auge no crescimento econômico.

O estudo foi apresentado na Reunião das Grandes Economias Sobre Mudanças Climáticas, hoje (9). “É em cima disso que nós precisamos discutir metas”, defendeu Lula.

De acordo com o relatório da Energy Information Administration, os Estados Unidos – quem mais resiste a se comprometer com metas de redução de emissões – ocupam o primeiro lugar do ranking, com 21,3% do total de emissões mundiais. Em 2005, ao americanos jogaram 5,95 bilhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera, 20,14 toneladas por habitante.

Na média por habitante, o Canadá aparece em segundo lugar, com 19,24 toneladas por habitante, seguido de Austrália, Holanda e Alemanha. Já no ranking global de emissões, o segundo lugar cabe à China, com 5,32 bilhões de toneladas de emissões (18,88%), seguida de Rússia (6,02%), Japão (4,36%) e Índia (4,13%).

No mesmo ano, o Brasil foi responsável por apenas 1,28% das emissões mundiais de gás carbônico, com um volume de 360,57 milhões de toneladas (1,9 tonelada por habitante). Na América Latina, a média de emissões por habitante foi de 3,1 tonelada/ano. Na África, a média foi de 1,2 tonelada de emissões por habitante.

“Utilizei isso para chamar a atenção dos presidentes de que devemos tomar a decisão com base em números produzidos por instituições de credibilidade mundial, que todos nós tenhamos como referência”, disse o presidente. “Fica mais fácil, então, a gente tomar as decisões para evitar o aquecimento do planeta”, opinou.

A partir da apresentação de Lula, foi proposta reunião dos líderes das maiores economias, no ano que vem, para debater mudanças climáticas a partir de uma base numérica. Participarão desse encontro Austrália, Brasil, Canadá, China, União Européia, Índia, Indonésia, Japão, República da Coréia, México, Rússia, África do Sul e Estados Unidos.

==========

Mylena Fiori
Repórter da Agência Brasil

Crédito da foto: http://br.msn.com/

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: