Resumo dos Jornais de Hoje – 09 07 2008

O Globo

Daniel Dantas é preso por corrupção e suborno à PF

O banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity, o megainvestidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta estão entre os 17 presos pela Polícia Federal na Operação Satiagraha. As investigações sobre os tentáculos de Dantas e Nahas tiveram origem no escândalo do mensalão. As empresas Telemig Celular e Amazonas Celular, do Opportunity, estão entre as que abasteceram contas do publicitário Marcos Valério.

Nos meses seguintes, investigações apontaram para uma intrincada rede de lavagem de dinheiro, remessas e corrupção. Ao ter a informação de que poderia ser preso, Dantas tentou subornar um delegado da PF, oferecendo-lhe US$ 1 milhão. Na operação, a PF apreendeu cerca de R$ 1 milhão em dinheiro e três carros importados .

A PF cumpriu 56 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio, Bahia e DF. Segundo a PF, Nahas teria usado dados sigilosos do Federal Reserve (BC americano) e até informações privilegiadas sobre descobertas da Petrobras para ganhar dinheiro.

O presidente do STF, Gilmar Mendes, criticou o pedido de prisão (negado pela Justiça) de uma jornalista por vazamento de informação. “Faz inveja ao regime soviético”, disse. (págs. 1, 19 a 26)

‘Medo? Só da Polícia Federal’

Considerado um dos mais brilhantes economistas de sua geração, Daniel Dantas cumpriu um longo caminho entre gênio das finanças e prisioneiro da PF. Aluno prodígio do exigente Mário Henrique Simonsen, quase foi ministro da Economia (governo Collor). Preferiu ficar no mundo das grandes tacadas financeiras e virou milionário, embora não goste de comer bem ou de viagens de luxo. O que gosta é de competir e ganhar dinheiro, a qualquer custo. Em sua última entrevista, à revista “Piauí”, confessou seu único medo: “a Polícia Federal”. (págs. 1 e 22)

Zé Dirceu e Greenhalgh são investigados por colaboração

O ex-chefe da Casa Civil José Dirceu está sendo investigado, mas os “dados ainda não estão amadurecidos”, disse o delegado. Ele, o ex-deputado Liz Greenhalgh e o ministro Mangabeira Unger são citados como colaboradores de Dantas. (Págs. 1 e 21)

PM do Rio fica até 10 anos sem reciclagem

O erro cometido pelos PMs que mataram o menino João, na Tijuca, é reflexo direto da falta de treinamento. O presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM, Vanderlei Ribeiro, afirma que um soldado da PM pode ficar até dez anos sem cursos de reciclagem. Ele só é obrigado a se atualizar na promoção a cabo. O governador Sérgio Cabral disse que os PMs que mataram João são débeis mentais. O comandante dos policiais, coronel Loury, do 6º BPM, disse, rindo sem sentido: “Os PMs reconheceram que houve uma merda muito grande.” (págs 1, 12 a 15)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Operação da PF prende Daniel Dantas, Naji Nahas e Celso Pitta

O banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, o megainvestidor Naji Nahas e o ex-prefeito paulistano Celso Pitta foram presos pela PF, acusados de crimes como formação de quadrilha, evasão e lavagem de dinheiro. Dantas é acusado na Operação Satiagraha (firmeza na verdade, em sânscrito) de utilizar empresas para cometer fraudes, remessas ilegais e lavar dinheiro. Nahas é apontado como o operador de Dantas que cuidava da lavagem no exterior. Pitta, segundo a denúncia do Ministério Público, recorria a Nahas para repatriar recursos. Dantas e Nahas teriam se associado para lucrar especulando com ações a partir de informações privilegiadas. O banqueiro, segundo o Ministério Público cometia evasão de divisas por meio do Opportunity Fund, offshore no paraíso fiscal das Ilhas Cayman que teria movimentado quase US$ 2 bilhões entre 1992 e 2004. Nahas ainda teria obtido acesso a informações privilegiadas do Banco Central dos EUA sobre o corte de juros no país em setembro de 2007. Ao todo, a Justiça decretou prisão temporária de 22 pessoas e preventiva de 2 entre empresários, doleiros e supostos latranjas. (Págs. 1 e Brasil)

Índex / Brasil

Para Planalto, prisão não atrapalha fusão da BrT-Oi. (págs.1 e A7)

Defesa de banqueiro diz ter papéis contra o PT

A defesa de Daniel Dantas atribuiu a prisão do banqueiro à disputa pelo controle da Brasil Telecom, anterior à compra pela Oi. A disputa opôs o banqueiro, a Telecom Italia e fundos de pensão de estatais. Dantas alega ter sofrido pressão do governo e de petistas. Seu advogado, Nélio Machado, ameaça divulgar documentos que segundo ele, comprovam a pressão do PT e estão na Justiça dos EUA. A defesa de Celso Pitta se disse surpresa e negou ligação dele com Dantas. O advogado de Naji Nahas não quis comentar o caso. (págs. 1 e A6)

Justiça revoga punição à Folha por entrevista com ex-prefeita

Por unanimidade o Tribunal Regional Eleitoral acolheu recurso da Folha e revogou a decisão de primeiro grau que multara Marta Suplicy (PT) e o jornal em R$21,2 mil por ver propaganda antecipada em entrevista da ex-prefeita. O TRE, que também cancelou punição à Editora Abril, levou em conta resolução do Tribunal Superior Eleitoral que modificou as disposições sobre propaganda eleitoral. (págs. 1 e A13)

Menos de 7 dias após resgate, Ingrid passa a criticar Uribe

Menos de uma semana após ser resgatada do cativeiro em que era mantida pelas Farc, a ex-candidata à Presidência Ingrid Betancourt criticou o presidente da Colômbia Álvaro Uribe. Ingrid que logo depois da libertação defendera a possibilidade de um terceiro mandato para o presidente, afirmou que não teria votado em Uribe: “Quem o elegeu foi as Farc”. Segundo ela, a Colômbia é um país isolado na região. (págs. 1 e A14)

Editoriais

Leia “Ocultismo palaciano” sobre manipulação de dados; e “Cinismo alimentar”, acerca de cúpula do G-8. (págs. 1 e A2)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Acusados de corrupção, Dantas, Nahas e Pitta são presos pela PF

Operação da Polícia Federal levou ontem para a prisão o banqueiro Daniel Dantas, o investidor Naji Nahas, o ex-prefeito Celso Pitta e mais 14 pessoas – outras 7 estão sendo procuradas. O grupo é acusado de crimes como desvio de recursos públicos, fraude com ações, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. A origem do inquérito foi o escândalo do mensalão, investigado pela CPI dos Correios. Por ordem da CPI, a PF apreendeu em 2005 o disco rígido de um computador do Opportunity, grupo empresarial de Dantas sob suspeita de ter financiado o esquema do mensalão. A partir daí, os policiais reuniram indícios de que Dantas chefiava ogigantesco mecanismo de evasão de divisas para paraísos fiscais. Entre 1991 e 2004, a quadrilha teria administrado US$1,9 bilhão por meio de fundo registrado no paraíso fiscal das Ilhas Cayman. Segundo a PF, há pelo menos 8 anos os grupos de Dantas e de Nahas se associaram para promover desfalques, obter empréstimoss irregulares, manipular o mercado financeiro com informações privilegiadas e fazer remessas irregulares. “As duas organizações envolvem uma engenharia financeira que pouco se viu”, disse o procurador Rodrigo de Grandis. Pitta é apontado como um dos que se beneficiarm do esquema. (págs. 1, A4 e A9)

Minc fala em compensação ambiental por Angra 3

O Ministério do Meio Ambiente é contra a construção de usinas nucleares, mas foi voto vencido dentro do governo e, por isso, considera a decisão sobre o início das obras de Angra 3 um assunto superado. Mas o ministro Carlos Minc disse que o licenciamento da usina vai exigir compensações ambientais e monitoramento independente para os níveis de radiação. “Foi uma decisão de governo.” (págs. 1 e B6)

Emergentes acusam países ricos por alta dos preços

Grupo formado por cinco países emergentes vai responsabilizar hoje as oito nações mais ricas do planeta, o G-8, pela especulação com petróleo e alimentos. Representantes do Brasil, China, ìndia, África do Sul e México acompanham reunião do G-8 no Japão. (págs. 1 e B1)

“A palavra política não me agrada”

A ex-refém das Farc Ingrid Betancourt disse ao Estado, em Paris, que não pretende voltar logo à Colômbia, pois teme por sua segurança. Afirma, ainda que está cansada da forma como se faz política. (págs. 1 e A14)

Notas e Informações: Tempos novos no Continente

Passados sete meses do fiasco do referendo golpista do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, começa a ser descortinada na Amárica do Sul uma nova topografia política. (págs. 1 e A3)

Artigo: Marcos Sá Corrêa

PAC do desequilíbrio: Não se pode falar em aumentar a pesca sem ter mais peixes. (págs. 1 e A20)

————————————————————————————

Jornal do Brasil

Gestão fraudulenta, corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, formação de quadrilha, suborno, tráfico de influência…

A Polícia Federal prendeu o banqueiro Daniel Dantas, o megainvestidor Naji Nahas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e mais 21 pessoas que gravitam em torno do Grupo Opportunity, de Dantas. Foram apreendidos dinheiro e documentos em 56 diferentes endereços. As investigações começaram há 4 anos, em apuração relacionada ao caso mensalão. Segundo a PF, o banqueiro lavava em paraísos fiscais a fortuna obtida em desvios do setor público. As informações se referem a R$ 2 bilhões movimentados pela rede. Dantas ainda tentou subornar um delegado para evitar a prisão. (págs. 1, Tema do Dia A2 a A7)

Investigação começou nos Estados Unidos

A Operação Satiagraha, da Polícia Federal, recorreu a documentos obtidos pela Promotoria de Manhattan em investigações sobre a empresa Beacon Hill, responsável pelos negócios de doleiros, empresários e políticos como Paulo Maluf. A PF teria revelado a investigadores dos EUA que a rede obteve informações privilegiadas no Fed. (págs. 1 e Tema do Dia A7)

50 milhões sem cartas

Mais de 50 milhões de objetos não chegaram ao destinatário desde o início da greve dos Correios, que entra hoje no nono dia. Há divergência sobre as adesões. Federação sindical anuncia paralisação em 24 Estados; a empresa divulga 20, mais o Distrito Federal. (págs. 1 e País A10)

Táxis festejam a lei seca

Caiu em 20% o movimento em bares e restaurantes do Rio, desde que entrou em vigor a chamada lei seca, que proíbe motoristas de dirigirem depois de ingerir qualquer quantidade de álcool. Mas os taxistas comemoram. O número de passageiros dobrou. (págs. 1 e Cidade A19)

Vereadores custam R$ 5,9 milhões cada

Não é à toa que milhares de candidatos disputam a tapa o direito de ocupar uma das 51 cadeiras da Câmara Municipal. Na última eleição, o número chegou a 1.110 concorrentes. Este ano, o TRE ainda não fechou a conta. O interesse tem relação com a recompensa financeira. Segundo uma pesquisa, a Câmara do Rio é a mais cara do país. O orçamento passa de R$ 298 milhões, o que dá R$ 5,9 milhões por mandato – R$ 900 mil a mais que a de São Paulo e o dobro que a de Belo Horizonte. (págs. 1 e Eleições A11)

Cabral vai expulsar PMs que mataram menino na Tijuca

Os PMs William de Paula e Elias Gonçalves, que executaram o menino João Roberto Soares, de 3 anos, foram indiciados por homicídio doloso qualificado e serão expulsos da corporação. Segundo a investigação, ambos agiram com intenção de matar. Ouvidos pelo JB, os candidatos a prefeito citaram o despreparo para rejeitar um eventual uso de armas também pela Guarda Municipal como reforço contra a violência. (págs. 1, Cidade A16 e Eleições A15)

————————————————————————————

Correio Braziliense

PF captura tubarões do dinheiro sujo

Megaoperação da Polícia Federal dsmonta um esquema de fraudes que envolve três figuras conhecidas em matéria de escândalo: o banqueiro Daniel Dantas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o doleiro Naji Nahas. Eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa acusada de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, corrupção e sonegação fiscal. Além dos três, Justiça decretou a prisão de 21 pessoas.(págs 1, 2 a 6 e Tema do Dia)

G-8

Estados Unidos aceitam reduzir emissão de gases poluentes. Lula vai defender etanol na reunião com países ricos. (págs. 1, 19,22 e Visão do Correio,pág.20)

Carne, leite e feijão vão pesar na mesa

Inflação chega a 0,79% na primeira semana de julho, depois de três registros de desaceleração. Além dos alimentos, luz e telefone devem ficar mais caros. (págs. 1 e 17)

Número de perícias cai na lei seca

DF registra 30% menos acidentes com vítimas. Em São Paulo, redução chega a 55%. STF não tem prazo para julgar ação contra tolerância zero. (págs. 1, 25 e 26)

Concurso da ANTT terá novas provas

Acusação de fraude leva a Agência Nacional de Transportes Terrestres a reaplicar os testes para o cargo de técnico em regulação. (págs. 1 e 16)

————————————————————————————

Valor Econômico

3º turno na VW para dar conta dos caminhões

Começará em setembro o terceiro turno na fábrica da Volkswagen Caminhões e Ônibus, na cidade de Resende (RJ). A medida, que exigirá a contratação de 1,3mil funcionários, segundo Roberto Cortes, presidente da montadora, é para atender à demanda atual do mercado brasileiro de caminhões, que vem mantendo aquecido ritmo de crescimento. “A empresa vai priorizar o mercado doméstico e tentar também recuperar as exportações perdidas por falta de capacidade”, disse o executivo. “Na Argentina, podíamos vender 5 mil veículos neste ano e vamos comercializar 3,5 mil por falta de produção.”Com o terceiro turno, a Volkswagen espera aumentar de 210 para 250 unidades o volume diário de produção de caminhões e ônibus em Resende até o final deste ano. “Vamos capacitar a fábrica para produzir 300 veículos diários, volume que poderá ser atingido entre janeiro e fevereiro de 2009 se repetir o índice de crescimento do mercado brasileiro”, afirmou Cortes. (págs. 1 e C2)

AES vai exercer direito a ações da Brasiliana

A americana AES vai exercer seu direito de preferência na holding Brasiliana, onde detém 50,1% e arrematar os 49,99% que o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) tem no negócio, diz o diretor-presidente da holding, Britaldo Pedrosa Soares. A Brasiliana é dona da maior distribuidora de energia da América Latina, a Eletropaulo, e da geradora Tietê, entre outros ativos. A compra da fatia do BNDES deve consumir mais de US$ 3 bilhões. O BNDES anunciou o desejo de negociar sua participação em abril de 2007, mas o leilão planejado para dezembro foi adiado várias vezes e foi remarcado para o segundo semestre deste ano. Ao que tudo indica, ele não deverá ocorrer em 2008, porque as avaliações da companhia realizada no ano passado precisam ser refeitas, já que o cenário atual do mercado de capitais é agora bem diferente. O BNDES não quis comentar o assunto.

Além da operação de saída da Brasiliana, o BNDES também tem uma dívida estimada em US$ 1 bilhão a receber da americana AES, referente à Southern Eletric Brasil (SEB), consórcio controlado pelo grupo americano que arrematou 33% do capital da estatal mineira Cemig. Débito foi negociado entre os bancos e a AES, mas o acordo foi suspenso pela Justiça brasileira. Assumir o controle total da Brasiliana é parte do reforço das operações da AES no Brasil. Ele avalia investimento de US$ 180 milhões em um parque eólico no país, montante que poderá ser dobrado no futuro. Segundo documentos enviados em maio à SEC, órgão regulador da Bolsa de Nova York, o grupo poderia investir até US$ 360 milhões para gerar energia por esse meio. O projeto será realizado no Ceará e seus seis módulos teriam capacidade total de produção de 220 megawatts (MW). (págs. 1 e B8)

Déficit com os árabes

A explosão dos preços do petróleo virou o jogo na balança comercial entre o Brasil e os 22 países árabes. O superávit de US$ 590 milhões do primeiro semestre de 2007 virou um déficit de US$ 1,15 bilhão no mesmo período deste ano. (págs. 1 e A2)

G-5 culpa especulação

O G-5 (Brasil, China, Índia, África do Sul e México) rejeitou ontem, no Japão, a responsabilidade pela alta dos preços dos alimentos e cobrou das nações ricas combate à especulação financeira, que tem impacto nos preços das commodities. (págs. 1 e A11)

Safra maior

A Conab e o IBGE previram ontem que a safra 2007/08 vai produzir 142,4 milhões de toneladas de grãos, volume 8,1% superior ao de 2006/07, mas 0,59% inferior ao previsto no levantamento de junho. (págs. 1 e B12)

Boi invade seringais

As reservas extrativistas personificadas pelo seringueiro Chico Mendes cedem à pressão da pecuária. Em algumas, no Acre e em Rondônia, o número de cabeças de boi, já se iguala ou ultrapassa o de habitantes. (págs. 1 e B12)

Estado de São Paulo muda regra de licitações

Desde ontem São paulo tem uma nova lei para regular as compras públicas estaduais. O Estado ingressa no grupo de administrações públicas do país que se anteciparam à aprovação, no Congresso Nacional, do proejeto que muda a Lei de Licitaões. Bahia, Paraná e Sergipe, além da capital paulista e do município baiano de Feira de Santana já têm novas legislações em vigor que seguem regras semelhantes às da proposta de tramitação no Senado. A lei paulista, assim como as demais legislações criadas desde 2006, inverte a ordem de fases de habilitação das empresas e de abertura das propostas de preços nas licitações. Com isso, apenas a documentação das empresas que apresentaram preços mais baixos é analisada, reduzindo o tempo necessário para a conclusão da compra e também os pedidos de liminares contestando a documentação das concorrentes. Na Bahia, primeiro Estado a adotar a medida, o tempo para se concluir uma concorrência foi reduzido de 163 dias para 56 dias, e no Paraná as licitações agora duram a metade do tempo anterior. Em ambos so Estados, as novas regras não sofreram contestações na Justiça – um possível argumento serua o de que contrariam a lei de licitações federal. Em São Paulo, alei paulistana enfrenta uma ação judicial das empreiteiras que prometem questionar também a nova legislação estadual na Justiça. (págs. 1 e E1)

Idéias: Célia de Gouvêa Franco

Salário melhor eleva nível das Câmaras. (págs. 1 e A2)

————————————————————————————

Gazeta Mercantil

PF desmonta esquema de fraude no setor financeiro

A Polícia Federal desarticulou ontem duas organizações acusadas de atuar no mercado financeiro. O banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity, e Naji Nahas, megainvestidor e doleiro, foram presos acusados de formação de quadrilha, corrupção ativa, evasão de divisas,lavagem de dinheiro e uso indevido de informações privilegiadas. O ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e outras 14 pessoas também foram presas. De acordo com informações da PF, o esquema do fundo do Opportunity movimentou, pelo menos, US$ 2 bilhões, entre 1992 e 2004. Além disso, o banqueiro é acusado de tentar subornar um delegado federal com o pagamento de US$ 1 milhão em propina. Uma das principais acusações contra Naji Nahas é o uso de informações privilegiadas. Segundo a PF, ele teria exercido influência até sobre a taxa de juros norte-americana. As investigações começaram na CPMI dos Correios, que investigava o pagamento de mensalidades aos parlamentares que vendiam votos. À época, as empresas Telemig e Amazônia Celular, ambas geridas por Dantas, foram citadas por ligação com o esquema de “mensalão”, assim como o doleiro Naji Nahas. A partir daí, a PF começou as investigações, que duraram quatro anos. Os acusados ficarão presos cinco dias e a prisão pode ser prorrogada por mais cinco. O advogado de Dantas nega as acusações e as classifica de ilegais. Os de Nahas
e Pitta analisam as denúncias. (págs. 1, A8 e A9)

Apreesão em Brasília afetará a compra da BrT

O fato de a Polícia Federal ter obtido na Justiça, pela primeira vez, mandado de busca e apreensão de documentos no Opportunity Fund, principal fundo de investimentos do empresário detido Daniel Dantas, sediado nas Ilhas Cayman, poderá provocar repercussão importante nos meios políticos de Brasília, com reflexos negativos, embora indiretos, sobre a compra da Brasil Telecom (BrT) pela Oi. Todos os investimentos efetuados por Dantas no setor de telecomunicações desde o leilão de privatização da Telebrás, em 1998, foram intermediados pelo Opportunity Fund, um dos poucos locais onde o empresário colocava sua assinatura, afirmou fonte próxima às negociações, referindo-se ao hábito do empresário baiano de utilizar de artimanhas criativas para não aparecer formalmente nas numerosas participações em empresas. “Muita gente ficou intranqüila em Brasília e essa apreensão pode impedir que integrantes do governo encaminhem as providências para permitir a compra da BrT pela Oi. (págs. 1 e A8)

Emprego estável

Ocupação industrial recua 0,1% em maio (págs. 1 e A5)

Comércio exterior

Corrente comercial com países árabes movimenta US$ 9,4 bi no semestre. (págs. 1 e A6)

Petróleo recua 6% em dois dias

O petróleo despencou ontem na bolsas internacionais, influenciado pela realização de lucro e a previsão de que o furacão Bertha não atingirá o Golfo do México. Em dois dias, o barril já recuou 6,3%. (págs. 1 e C4)

Geradores no combate ao apagão

O grupo Battistella propôs ao governo o uso de geradores de energia como solução para ajudar a evitar um apagão no País. Segundo a empresa, que fabrica os equipamentos, há 8 mil deles espalhados pelo Brasil.(págs. 1 e C4)

Campo deixa balança com saldo fértil

Os altos preços internacionais dos produtos agrícolas elevaram o superávit da balança comercial do agronegócio de US$ 22,8 bilhões para US$ 28,1 bilhões no primeiro semestre deste ano na comparação com mesmo período de 2007. Se não fosse o bom momento do agronegócio, a balança comercial brasileira teria um saldo negativo de US$ 16,7 bilhões. O campo e sua agroindústria exportaram US$ 33,7 bilhões de janeiro a junho deste ano e importaram US$ 5,6 bilhões no mesmo período. Somente o complexo soja, formado por grão, óleo e farelo, gerou em receita US$ 9 bilhões, o equivalente a 79% do superávit brasileiro. Essa receita foi também 70% maior que a registrada pelo complexo de janeiro a junho do ano passado (US$ 5,3 bilhões) no ano passado, apesar de os volumes embarcados terem sido semelhantes. Os preços mais altos da carnes também contribuíram para o desempenho. Apesar do volume 4% maior, a receita cresceu 32%.(págs. 1 e C8)

Opinião: Antonio Penteado Mendonça

Uma nova interpretação coloca a Revolução de 1932 como um pequeno tropeço, logo reparado pela acelerada evolução de São Paulo.(págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Estado de Minas

Do mensalão à lavanderia

No rastro do escândalo que derrubou o então ministro José Dirceu, Policia Federal descobre novo esquema de corrupção e prende o banqueiro Daniel Dantas, o doleiro Naji Nahas e o ex-prefeito Celso Pitta, de São Paulo. Eles são acusados de crimes financeiros como lavagem de dinheiro e remessa ilegal de recursos para o exterior. (págs. 1, 3, 4 e 6)

Tumulto postal

A greve dos Correios provocou acumulo de 1,5 milhões de objetos de esquema de entrega em Minas. Para não correr o risco de pagar juros e multas, Renato Macedo retirou a segunda via de fatura pela internet. (págs. 1, 17 e Editorial, 10)

Brasil se torna alvo de nova invasão holandesa (págs. 1 e 14)


————————————————————————————

Jornal do Commercio

Banqueiro, investidor e ex-prefeito presos

Daniel Dantas, dono do Opportunity, Naji Nahas, do mercado de ações, e Celso Pitta, que governou São Paulo, foram detidos com outras 14 pessoas pela PF, acusados de corrupção e lavagem de dinheiro, em investigação que começou com o mensalão. (pág.1)

Contra Lei Seca (pág.1)


Greve dos fiscais provoca prejuízos em Suape (pág.1)


Governo anuncia obras de saneamento em nove municípios (pág.1)


————————————————————————————

Fonte: http://clipping.radiobras.gov.br/clipping/novo/Construtor.php?Opcao=Sinopses&Tarefa=Exibir

One Comment

  1. Nivaldo Bastos
    Posted quarta-feira, 9, julho 2008 - at 9:00 am | Permalink

    Oi amigos, e uma vergonha para nos Brasileiros e carteiros saber que um termo de comoromisso, assinado no gabinete do LULA, com o seu aval, e na presenca do proprio LULA, com as assinaturas do ministro das comunicações,do presidente da ECT, tendo como tetesmunha e assinado o senador da republica, Paulo Paim, o ministro do trabalho tambem estava presente, tudo foi resistrado e fotografado, por nos carteiros, no dia do fato tiramos varias fotos com o LULA, ficamos comtentes com o fato ocorido, hoje e uma decepição total,por vavor diga em quem devemos acreditar neste Pais, ainda bem que acreditamos em Deus,neste eu comfio, obrigado.


Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: